sexta-feira, 30 de maio de 2014

DeclarAção

Fica assegurado o direito à Utopia.
E que as armas e os brasões da pátria respeitem
O nosso poder-dever de delírio.


Saibam que o nosso sonho
Ganhou força em seus mil ocasos
E que hoje a sua voz
Tem contornos de infinito.

Que o homem seja medido pela grandeza do que ama
E que sua estatura moral se registre
Pelo tempo em que persevera
No estender de sua mão.

Que o sexo seja concebido sem pecado
E que todo homem seja nascido
Do coração da Humanidade inteira.

Que tenhamos a decência de amar o humano
Em sua grandeza ímpar, tenha ele a cor,
A dor ou nacionalidade que tiver.

E que nós, os loucos, os poetas
Os sonhadores imprestáveis do mundo,
Escrevamos um amanhã
Que ainda pode ser hoje.

Nara Rúbia Ribeiro